A relação entre corpo, emoção e mente vai além

Tempo de leitura: 5 minutos

Para a OMS (Organização Mundial de Saúde), o conceito de saúde envolve o completo estado de bem-estar físico, mental e social – e não apenas a ausência de doença. Para atingir esse estado são várias as recomendações, como ter uma alimentação saudável, acesso a saneamento básico, lazer, atividades físicas etc.

Embora muitas pessoas sigam essas “regras”, nem todas conseguem alcançar o bem-estar físico e mental preconizado pela OMS. Mas o que será que falta? Em uma sociedade que cada vez mais prioriza o lado mental e racional, muitas vezes o que falta é, justamente, a noção de consciência corporal.

Ao entendermos melhor a relação entre corpo, emoção e mente, podemos conquistar um equilíbrio e, assim, nos sentirmos mais plenos, realizados, felizes e saudáveis.

Quer entender melhor essa relação? Continue a leitura!

O que é consciência corporal?

Diversas sociedades antigas já preconizavam a visão holística do homem – desde os antigos manuscritos chineses até os estudos gregos de Hipócrates. Em diversas eras, estudiosos de vários campos buscaram compreender a íntima relação entre mente, emoção e corpo.

A ciência moderna, contudo, começou a romper com esse padrão, dividindo o ser humano em “fatias” e estudando cada parte, sem se importar com o todo. Com o avanço da nossa sociedade e o surgimento de diversas doenças, novamente nos voltamos ao estudo do homem como um todo, analisando também os efeitos das emoções e da mente sobre o nosso estado físico.

A forma como reagimos a tudo o que nos cerca também influencia a maneira como o nosso corpo responde e reage. Um dos estudiosos desse campo foi Bach (criador dos florais de Bach) que observava como os efeitos da guerra traziam outras complicações aos feridos além dos problemas físicos.

A consciência corporal é justamente o entendimento dessa sintonia complexa. A partir da análise sobre nós mesmos, somos capazes de identificar como nossas emoções, pensamentos e sentimentos agem sobre o nosso organismo e criam sensações (boas ou ruins) por todo o corpo.

Quanto mais consciência temos desse equilíbrio, mais podemos entender nossas limitações, emoções e necessidades. Assim, evitamos situações que nos causam desgaste físico e mental e resguardamos nosso corpo e nossa saúde, além de buscar cuidar melhor da nossa parte mental, pois sabemos que ela também refletirá no nosso físico.

Como a consciência corporal se relaciona com a saúde física e mental?

A partir do momento em que conseguimos gerenciar melhor nossas emoções e a nossa mente, estamos também cuidando da nossa saúde física, evitando diversas doenças – que nada mais são do que uma forma do nosso corpo lidar com toda essa carga de pensamentos e sentimentos que nem sempre sabemos expressar ou trabalhar.

Dentro da psicologia, existe até um termo para isso: as doenças psicossomáticas. Elas aparecem quando uma pessoa internaliza seus conflitos e não consegue resolvê-los, desencadeando sintomas corporais e problemas de saúde física.

Muitas vezes, essas doenças psicossomáticas podem surgir pela dificuldade em aceitar vivências, estados afetivos e o relacionamento consigo mesmo e com o mundo exterior. Se essas emoções não forem bem gerenciadas, a pessoa poderá adoecer fisicamente.

Além disso, quando as emoções estão mal gerenciadas, sofremos com uma queda na imunidade – o que também predispõe a ficarmos mais doentes ou a demorarmos para nos recuperar de um problema de saúde.

Assim, ter consciência das suas emoções, sentimentos e desejos e saber lidar com as questões internas é essencial para que consigamos encontrar o equilíbrio, o bem-estar e também para desenvolvermos mais qualidade de vida, evitando adoecer física e mentalmente.

Como estimular minha consciência corporal?

O primeiro passo é começar a se entender melhor. Isso significa avaliar suas próprias emoções e sentimentos, trabalhando o autoconhecimento.

Quanto mais você compreender sobre as formas que reage aos estímulos internos e externos, seus desejos e sonhos e até suas limitações, mais fácil será gerir melhor sua mente e assim conquistar uma consciência corporal mais ampla.

Conforme seu autoconhecimento for avançando, você conseguirá, por exemplo, identificar quando um sintoma físico está relacionado a algum problema emocional ou de relacionamento – e buscar resolver essa situação antes que ela se agrave.

Assim como será mais fácil compreender seus limites, evitando se sobrecarregar (por exemplo com acúmulo de tarefas e demandas), sabendo delegar e aprendendo a dizer “não”, respeitando suas vontades e desejos.

Para começar a estimular sua consciência corporal, tente entender melhor a si mesmo. Sinta-se presente. Você pode começar a meditar por alguns minutos por dia e aproveitar esse período para sentir seu próprio corpo e deixar fluir seus pensamentos.

Outra ideia é criar um roteiro de perguntas sobre si mesmo: o que você gosta de fazer, quais são seus sonhos, quais são suas principais dificuldades, o que lhe causa medo e assim por diante.

O mais importante é adquirir o hábito de se observar, prestando atenção no seu corpo, apreciando e aceitando essa máquina incrível que ele é e ficando atento se algo estiver diferente do que o costume.

Neste conteúdo, você aprendeu que corpo, mente e emoções estão intimamente ligados. Por isso, a consciência corporal ajuda a melhorar a nossa saúde física e mental ao nos auxiliar a compreendermos melhor como reagimos aos estímulos internos e externos e a respeitar os nossos limites.

Gostou deste post? Assine a nossa newsletter e receba sempre dicas bacanas como esta diretamente no seu e-mail!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *