4 formas de acelerar o desenvolvimento pessoal e profissional em sua empresa

Tempo de leitura: 7 minutos

Cada vez mais as empresas têm buscado maneiras de investir no desenvolvimento pessoal e profissional dos seus colaboradores. Afinal, elas têm notado que, quanto mais seus funcionários sentem-se motivados e felizes consigo mesmos, mais eles tendem a produzir, aumentando o volume, a eficiência e a qualidade do trabalho.

Mas, afinal, como acelerar o desenvolvimento pessoal e profissional dos seus colaboradores de forma adequada? Nós separamos algumas ideias e dicas essenciais. Confira!

O que é desenvolvimento pessoal e profissional?

O desenvolvimento profissional é aquele mais técnico, voltado para as competências operacionais que o colaborador precisa ter para desempenhar adequadamente a sua função.

Em geral, ele é obtido por meio de treinamentos, workshops, palestras e outras ações educativas, ajudando a atualizar os colaboradores.

Já o desenvolvimento pessoal está ligado às competências e habilidades capazes de auxiliar tanto na vida pessoal como profissional. Está relacionado a questões como inteligência emocional, boa comunicação, gerenciamento do tempo, habilidades interpessoais etc.

Elas também são indispensáveis para que o profissional consiga trabalhar melhor e obter sucesso. Afinal, é impossível trabalhar sem contar com a colaboração e a boa convivência com os demais; sejam eles outros funcionários ou até mesmo os clientes da empresa.

Ambos são importantes e devem ser metas de aprimoramento tanto dos profissionais, individualmente, como das empresas. Tudo isso melhora a forma como os times enxergam sua companhia, ajudando a ter níveis melhores de produtividade e também na retenção e desenvolvimento dos talentos.

Como acelerar o desenvolvimento pessoal e profissional dos colaboradores?

Já está convencido a investir no desenvolvimento pessoal e profissional dos seus colaboradores? Veja as dicas e ideias que separamos!

  1. Autoconhecimento

É impossível falarmos em desenvolvimento pessoal e profissional sem que os colaboradores tenham um bom nível de autoconhecimento. Afinal, somente assim, cada um poderá entender quais são seus pontos fortes e fracos e o que precisa ser melhorado ou valorizado.

Profissionais com bons níveis de autoconhecimento conseguem lidar melhor com as situações, planejar corretamente sua carreira, focar nos seus pontos positivos e trabalhar para que os pontos negativos sejam corrigidos.

Quando as empresas investem em programas que favorecem o autoconhecimento, elas ajudam seus funcionários a reconhecerem seus padrões de comportamento e suas limitações. Assim como estimulam o desenvolvimento de competências e, consequentemente, a melhorar seus resultados e a sua convivência com os demais integrantes da equipe.

O autoconhecimento pode ser tanto pessoal (em relação as atitudes, sentimentos e modos de agir) como profissional (pensando nas habilidades e competências necessárias para o cargo e função que ocupa) – e deve ser trabalhado com todos os colaboradores, desde o chão de fábrica até a alta gerência.

São muitos os exercícios que podem ser aplicados com seus colaboradores e os líderes podem ajudar desenvolvendo os planos de carreira em conjunto, listando os pontos fortes e fracos junto do colaborador e oferecendo feedbacks constantes e precisos.

  1. Inteligência emocional

A inteligência emocional está bastante ligada ao autoconhecimento. Afinal, ela se caracteriza pela capacidade do indivíduo de reconhecer seus sentimentos e emoções com mais facilidade – e saber lidar da melhor maneira possível com eles.

Essa é uma habilidade que podemos desenvolver continuamente e é essencial para que os times e equipes funcionem corretamente, melhorando a forma como as pessoas se comunicam e agem diante de diferentes situações.

A inteligência emocional é diferente do quociente de inteligência (QI), já que ela não está ligada aos conhecimentos intelectuais, mas sim às questões sentimentais e emocionais, melhorando o relacionamento interpessoal, a comunicação no trabalho e, claro, favorecendo o autoconhecimento.

Assim, podemos destacar que a inteligência emocional não é a capacidade de ignorar as emoções, mas sim de saber lidar com elas – tanto as suas emoções como as dos demais.

Alguns sinais de que a pessoa possui uma alta inteligência emocional são: encontrar satisfação em si mesmo e nos resultados alcançados (e não nos elogios que recebeu ou deixou de receber), foco no trabalho bem feito, na entrega e no cumprimento dos prazos (embora esteja consciente de que nem sempre poderá cumprir todas as metas exigidas), alta capacidade de perdoar e de manter a consciência tranquila e capacidade de apontar soluções e de se adaptar às situações.

Para desenvolver a inteligência emocional, é importante se conhecer, por isso alguns exercícios como o diário de emoções é bem indicado. Além dele, vale a pena oferecer bons feedbacks aos seus colaboradores, investir no team building (que visa estreitar os vínculos entre os membros de uma equipe), desenvolver equipes multifuncionais, entre outras atitudes.

  1. Mindfulness

O mindfulness, traduzido para o português como “atenção plena”, é um método que ajuda a desenvolver o foco e a concentração. Ele já foi amplamente utilizado em pessoas com ansiedade e estresse – e hoje a ideia tem se espalhado pelo ambiente corporativo.

Pode ser compreendido como um estado de “estar presente no momento atual”, ajudando a ampliar o foco e o autocontrole e a aumentar a produtividade. Assim, o mindfulness auxilia a reduzir a quantidade de itens que acabamos fazendo no “piloto automático” e a eliminar os pensamentos negativos que atrapalham o desenvolvimento.

Grandes empresas já têm investido nas técnicas de mindfulness para os funcionários, como é o caso do Google, da 3M e do Facebook, porque elas entenderam que, ao aumentar o bem-estar dos seus colaboradores, estão também investindo na melhora da produtividade e da qualidade do trabalho.

Alguns benefícios que as técnicas ajudam a trazer são:

  • mais concentração na execução das tarefas;
  • mente mais calma;
  • redução da ansiedade e do estresse;
  • aumento da criatividade;
  • aumento do autoconhecimento e da valorização dos sentimentos positivos;
  • redução das crenças limitantes;
  • melhoria do desempenho cerebral;
  • aumento do bem-estar e da qualidade de vida.

Para as empresas, isso se traduz em mais produtividade e eficiência e redução dos erros e retrabalhos.

É possível investir desde programas completos de mindfulness para os funcionários (inclusive aliando a inteligência emocional e autoconhecimento), como práticas menores, por exemplo, incluindo a meditação 20 minutos por dia na jornada dos colaboradores.

  1. Consciência corporal

A consciência corporal é a capacidade de um indivíduo de conhecer o seu próprio corpo, como ele funciona, suas limitações físicas, reconhecimento de sinais emitidos pelo organismo em momentos de alerta, como realizar movimentos para evitar lesões etc.

A princípio, muitas pessoas podem acreditar que a consciência corporal não tem muita relação com as empresas. Porém, quando ela é bem desenvolvida, é mais fácil reduzir as chances de lesões no ambiente de trabalho e também aumentar a qualidade de vida dos profissionais, diminuindo os afastamentos por doenças e outras condições físicas.

Assim, quando o colaborador entende melhor como seu corpo funciona e quais movimentos ele pode ou não fazer, por exemplo, evita carregar mais peso do que deveria, passar horas em determinada posição ou executar movimentos indevidos, que possam comprometer a sua saúde, evitando lesões e outras patologias.

A ginástica laboral é uma excelente ferramenta para expandir a consciência corporal, além de outros incentivos à prática de esportes e também yoga e pilates.

Neste conteúdo, você aprendeu que existem muitas maneiras de investir no desenvolvimento pessoal e profissional do seus colaboradores. Em resumo, é necessário ir muito além dos treinamentos específicos para as funções que eles executam. Pois, o importante é pensar em como estimular o autoconhecimento, a inteligência emocional e o bem-estar dessas pessoas.

Gostou das nossas dicas? Conheça os programas do Mandala Instituto e leve mais qualidade de vida às suas equipes!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *